Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial / Assessoria de Assuntos Históricos e Culturais (AAHC) / Sítio Histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção (SHFNSA)
Início do conteúdo da página

Sítio Histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção (SHFNSA)

Publicado: Segunda, 25 de Junho de 2018, 16h37

A visita ao Forte é um convite para uma viagem no tempo!

Conhecer os fatos e personagens de nossa história é conhecer um pouco mais de nossa terra e de nossa gente, enfim, de nossa Pátria. E a visita a fortificação se constitui um verdadeiro encontro com a História do Brasil, particularmente, com a História do Ceará e de sua Capital, resgatando o culto à grandes vultos nacionais, como exemplos perenes e inequívocos de coragem moral, honestidade de propósitos, bravura e liderança em combate, altruísmo e amor a Pátria; e estimulando o sentimento de respeito e a admiração nos visitantes que por aqui passam.

A história aqui vivida nos leva a conhecer a bela e empolgante história da colonização do Ceará e do surgimento de Fortaleza, tendo início com o primitivo forte holandês, nos primórdios da posse e colonização da terra, e prossegue pelo Reino Unido e pelo conturbado período do Brasil Império até chegar a República.

Foram 4 os fortes construídos nessa região, um pelos holandeses, e os demais pelos portugueses.

A história se inicia com as empreitadas de Pero Coelho de Souza e Martim Soares Moreno, na luta contra os franceses e com a construção dos Fortes de São Thiago e de São Sebastião, em 1603 e 1612, respectivamente, ambos na Barra do Ceará. Este último, um sustentáculo para a posse e colonização da terra pelo 1º Capitão-Mor da Capitania do Siará Grande. Martim entrou para o cancioneiro popular, tornou-se lenda; e na pena de José de Alencar, entrou para a literatura com o celebre romance Iracema.

Nossa história prossegue com as invasões holandesas no Brasil, particularmente a segunda na Capitania do Siará Grande (1649-1654). Nesta época, em meados do século XVII, nos encontramos com o capitão holandês Mathias Beck construindo o forte de Shoonemborch, um pequeno reduto militar de paliçada, nas margens do riacho Pajeú. 5 anos mais tarde, nos deparamos com o fim da ocupação neerlandesa no NE do Brasil e a entrega da fortificação ao Capitão-Mor português Álvaro de Azevedo Barreto, que ao tomar posse, em 1654, mudou-lhe o nome para Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção.

A história de um povo é marcada pelos atos e fatos que influenciaram sua trajetória no tempo e no espaço, sendo as fortificações militares, além de marcos vivo dessa história, referências visuais; verdadeiros marcos da evolução humana. Neste sentido, a Fortaleza de N. Sra. da Assunção se constitui o marco inicial da história de nossa capital, pois o pequeno povoado que surgiu e cresceu no seu entorno, e nele sempre encontrou abrigo e proteção, deu origem à cidade de Fortaleza, que da mesma herda o próprio nome. Também traz consigo um pouco da História do Ceará, pois quando a 10ª Região Militar recebeu a designação histórica de “Região Martim Soares Moreno”, o primeiro Capitão-Mor da Capitania do Siará e considerado o fundador deste Estado, entrelaçou sua história à do Forte de São Sebastião e deste ícone da História do Ceará.

Ao longo dos anos, devido a implacável ação do tempo, o antigo fortim, originalmente holandês, passou por inúmeras reformas e reconstruções. A principal intervenção deu-se de 1812 a 17, quando o velho forte, então reduzido a uma bateria em ruínas, ganhou nova forma e dimensão com o projeto de Silva Paulet, dando lugar a uma nova, bela e imponente fortaleza. Agora com a forma de um quadrado com 90 m de lado, de pedra, tijolo e cal, contando com 4 baluartes e guarnecida com 27 canhões, em condições de baterem o ancoradouro e o porto. Um verdadeiro monumento, construído com donativos da população e armado pela fazenda da Coroa, inconteste símbolo de valorização material, sentimental e histórica da emergente Vila da Fortaleza.

O Forte se constitui uma valiosa reminiscência do período da formação de nossa capital, um testemunho histórico de que a cidade já nasceu sob a proteção da fortificação e sob o signo do manto sagrado de N. Sra. da Assunção, orago de batismo do forte e padroeira de Fortaleza. Durante sua existência, o forte e os quartéis anexos abrigaram diferentes tropas e unidades e acolheram personagens que aqui iniciaram suas carreiras ou serviram em épocas distintas e vieram a se projetar no cenário nacional. Em comum, a participação expressiva na defesa da terra, na consolidação da unidade nacional e na formação da Pátria.

Atualmente a Fortaleza de N. Sra. da Assunção (FNSA) abriga o Comando da 10ª Região Militar.

Hoje, a imponente Fortaleza e seus canhões não se prestam mais a defesa da “Capitania do Siará” contra um inimigo externo, nem tão pouco à proteção da antiga “Vila do Forte”.

O Forte, se fez história, e seus canhões, atiram cultura!

Venha conhecer um pouco mais da sua história, visite o Sítio Histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção”

 

Dúvidas Frequentes - AAHC

  • 1. Como faço para visitar a Fortaleza de N. Sra. da Assunção? Qual é o horário e dias de funcionamento? É preciso pagar?

    ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A VISITAÇÃO AO SÍTIO HISTÓRICO DA FORTALEZA DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO

    A visitação é franqueada ao público em geral, nos dias e horários abaixo especificados, sem a necessidade de agendamento prévio. O agendamento prévio somente se faz necessário em caso da visitação por grupos.

    Dias e horários de visitação:

    - de segunda a sexta feira: de 9 h as 12 h e de 13 h as 16 h; e

    - sábado, domingo e feriados: de 9 h as 12 h.

    Custo:

    A visitação é gratuita.

    Traje:

    Não é permitido o uso de trajes de banho em função do ambiente (Organização Militar) e para não causar constrangimentos aos demais visitantes.

    Visita Guiada:

    O Comando da 10ª Região Militar possui guias especializados para a condução da visitação na Fortaleza de N. Sra. da Assunção. Toda a visita é guiada.

    Agendamento para grupos:

    O agendamento de grupo é via internet. Deve ser feito com, no mínimo, 2 dias úteis de antecedência à data da visitação para que seu pedido possa ser processado em tempo. Caso não seja possível agendar pela internet, poderá ser feito por um dos demais meios disponíveis.

    Equipe de Relacionamento – consultas, informações ou dúvidas:

    Assessoria de Assuntos Históricos e Culturais da 10ª RM (AAHC/10)

    Contatos: (85) 3255-1714 / 1728 / 1759 ou e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


    Agora faça seu agendamento AQUI”.
    Aguardamos sua visita,
    Comando da 10ª Região Militar
    (Região Martim Soares Moreno)

  • 2. Onde é que fica? E como faço para chegar no Sítio Histórico da FNSA?

    FORTALEZA DE NOSSA SENHORA DA ASSUNÇÃO (FNSA)

    Endereço:

    Comando da 10ª Região Militar – Região Martim Soares Moreno

    Av. Alberto Nepomuceno S/N; Centro; Fortaleza-CE – CEP: 60.055-000.

    Pontos de referência:

    Catedral Metropolitana de Fortaleza e Mercado Central.

    Local da entrada e saída de visitantes:

    - O acesso ao QG da 10ª RM deverá ser feito pela entrada principal do QG, voltado para o Mercado Central. Neste local o visitante deve procurar o militar de serviço e informar que deseja visitar o Sítio Histórico da FNSA, este o encaminhado para a “Sala de Recepção” para a triagem e o registro do visitante. Na Recepção o visitante será recepcionado por um dos Guias de Visitação, que a partir de então o conduzirá por um roteiro a visitação programado, em torno de 30 min para a visitação individual e de 30/50 min para grupos.

    - Excepcionalmente, quando se tratar de grupos de crianças e idosos, o acesso ao Sítio Histórico da FNSA poderá ser feito pelo túnel dos fundos do QG (o que liga ao “Passeio Público”), por questões de segurança do grupo, especialmente quando o local de estacionamento for o Passeio Público. Isto ocorrerá também quando houver a previsão de integração da programação da visita ao Sítio Histórico com a visitação ao “Passeio Público” (e vice-versa). Tal necessidade deverá ser previamente coordenada com a Assessoria de Assuntos Históricos e Culturais.

  • 3. O que posso visitar no Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção?

    ÁREA ABERTA À VISITAÇÃO PÚBLICA

    O trânsito dos visitantes ao Sítio Histórico será sempre acompanhado/conduzido pelo Guia de Visitação, desde sua entrada até a saída e deverá restringir-se as áreas dos Espaços Culturais existentes e ao respectivo acesso às mesmas.

    Espaços culturais da visitação ao Sítio Histórico da Fortaleza de N. S. da Assunção:

    - Mausoléu e espaço “Museu Brigadeiro Sampaio”;

    - Espaço Brigadeiro Tibúrcio (*);

    - Antecâmara do túnel da muralha e espaço Bárbara de Alencar (**);

    - Muralhas da fortificação (o “fosso” está interditado temporariamente) (**);

    - Praça de N. S. da Assunção e Monumento a Martim Soares Moreno;

    - Praça dos Canhões;

    - Painéis do passadiço superior do pavilhão de Comando (***);

    - Capela de N. S. da Assunção (***);

    - Painel em cerâmica de N. S. da Assunção/fachada dos fundos do QG (***); e

    - Praça dos Mártires, mais conhecida como “Passeio Público” (***).


    Observações:
    (*) Será realizada imediatamente após a visitação ao “Museu Gen Sampaio”.
    (**) Não é recomendada para crianças menores de 10 anos e idosos.
    (***) Em alguns casos poderá ser inserido, complementarmente, no roteiro da visitação (em função do interesse do grupo visitante ou da parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza / PMF):

  • 4. Qual a duração da visita mediada?

    DURAÇÃO DA VISITAÇÃO (PREVISÃO)

    Programação reduzida: 30 min (visitação individual ou pequenos grupos).

    Programação normal (visitação por grupos): 1 h, sendo 50 min no percurso e os 10 min finais para conferência do efetivo, recebimento das Pesquisas de Opinião e despedidas formais ao grupo.

    Deverá ser cumprido o tempo de visita previsto na Agenda de Visitação, de forma a não causar prejuízo a outros visitantes agendados. Entretanto, o tempo normal do roteiro de visitação poderá ser estendido um pouco mais visando atender a necessidades especiais do grupo, desde que o horário seguinte esteja vago (não haja agendamento marcado para o horário seguinte).

    Exemplo: o objetivo da visitação for ministrar aula prática pelo professor do estabelecimento de ensino; previsão na programação das crianças de consumo de lanche no local; oração e/ou meditação de grupo de religiosos na Capela; ou outras atividades conduzidas pela instituição, desde que informadas/agendadas previamente.

  • 5. Como eu faço o agendamento do meu grupo?

    ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O AGENDAMENTO DE GRUPO

    Para fazer o agendamento desejado você não precisa ligar ou mandar e-mail, você pode fazer o agendamento da visitação de seu grupo pela internet, a qualquer hora e de qualquer lugar.

    • Se encontra disponibilizado na página da 10ª Região Militar na Internet ( www.10rm.eb.mil.br ) uma “Agenda de Visitações”, na qual constam as visitações já agendadas por instituições/grupos e os dias e horários disponíveis.
    • Acesse a “Agenda de Visitações” pelo Link “TURISMO HISTÓRICO CULTURAL – AGENDAMENTO DE GRUPOS”), escolha a data e a faixa horária que lhe é mais apropriada e faça o seu agendamento preenchendo um formulário com os dados de seu grupo.
      Atentar para a recomendação abaixo.
      (*) Você deve preencher todos os campos existentes no formulário, atentando que a quantidade de pessoas e o número de transportes utilizados devem ir até a casa das centenas, somente assim os dados inseridos na agenda serão processados. Exemplificando: “ 015 ”.
    •  Você verá a confirmação de sua solicitação na própria Agenda de Visitação (internet). Caso não seja possível o atendimento de sua solicitação para o período informado, a AAHC/10 lhe enviará um e-mail com um pedido para que seja escolhida uma nova data e/ou faixa horária para o seu agendamento.

    Agora é só acessar o Link “Turismo Histórico-Cultural – Agendamento de Grupos”), preencher a “Agenda de Visitações” e nos enviar sua solicitação. Caso ainda persistam dúvidas, consulte a seguir o Passo a Passo para o agendamento da visitação de grupo.
    No link para o agendamento você também encontrará:
    a. Orientações para a visita ao Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção (SHFNSA)
    b. “Passo a Passo do Agendamento”
    c. Regras e Procedimentos da visita
    d. Histórico dos pontos de visitação

  • 6. Outras Perguntas Frequentes

    (Comuns a todos os espaços do Roteiro dos Quartéis de Fortaleza)

    1. Qual é mesmo o horário de funcionamento? E o preço do ingresso?
    Dias e horários de visitação:
    - de segunda a sexta feira: de 9 h as 12 h e de 13 h as 16 h; e
    - sábado, domingo e feriados: de 9 h as 12 h.
    Custo: a visitação é gratuita.
    2. Qual é mesmo a duração da visitação (previsão)?
    Programação reduzida: 30 min (visitação individual ou pequenos grupos).
    Programação normal (visitação por grupos): 1 h, sendo 50 min no percurso e os 10 min finais para conferência do efetivo, recebimento das Pesquisas de Opinião e despedidas formais ao grupo.
    3. Há estacionamento ?
    Durante o expediente: não há estacionamento para os visitantes. As vagas no local são utilizadas pelos militares da OM e pela SIP (Seção de Inativos e Pensionistas). Há vagas limitadas para militares visitantes.
    Em dias sem expediente
    Veículo pequeno/médio (vans/veículo de passeio)
    - Civis: poderão estacionar no estacionamento do bosque, à frente do QG (estacionamento “D”).
    - Militares da Ativa / Reserva: local de estacionamento de acordo com as NGA do Cmdo 10ª RM.
    Veículo grande (ônibus turístico)
    - O veículo(s) poderá(ão) ser direcionado(s) para o estacionamento “D” (alameda à frente do QG).
    - O desembarque/embarque do veículo se dará na área de estacionamento.
    4. Posso entrar com animais domésticos ?
    Não é permitida a entrada de animais domésticos no Sítio Histórico da FNSA por ele ser um patrimônio tombado e estar em uma área dentro de um aquartelamento militar. Além disso, é preciso zelar pela necessária higiene dos espaços culturais. Tal restrição também está relacionada a outros fatores, tais como, a segurança e a preservação dos diversos e variados acervos nos locais de exposição, que têm valor inestimável; assim como, não ameaçar a integridade ou causar medo, receio ou constrangimentos a outros visitantes, que também é de nossa responsabilidade.
    5. Posso entrar com trajes de praia ?
    Não é permitido o uso de trajes de banho em função do ambiente (Organização Militar) e para não causar constrangimentos aos demais visitantes. Entretanto você pode entrar no espaço com bermuda, camiseta meia manga e chinelo.
    6. Posso fotografar ou filmar as instalações do Sítio Histórico da FNSA?
    a. É permitido apenas filmagens e fotos, sem flash e sem finalidade comercial ou de divulgação.
    b. Os visitantes poderão, após a apresentação/explanações de um ponto do roteiro pelo Guia de Visitação, circular e filmar/bater fotos individuais e/ou coletivas.
    (*) Cabe destacar que só poderá ser retirada fotos/fazer filmagens nos pontos de visitação, isto é nos espaços culturais que integram o Sítio Histórico, tudo devidamente supervisionado e controlado pelo Guia de Visitação.
    7. É possível realizar um ensaio fotográfico no SHFNSA/Cmdo 10ª RM?
    a. Ensaios fotográficos são autorizados apenas às segundas-feiras. Não há ensaios de terça a domingo em nossa unidade por conta da intensa movimentação de visitantes no local. Caso queira agendar em uma segunda-feira (exceto feriado), favor entrar em contato através do e-mail:   O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
    b. Para ensaios com finalidade comercial, o SHFNA/10ª RM recolhe uma taxa para a União Federal conforme local escolhido e tempo de utilização do espaço.
    8. Quantos visitantes vocês costumam receber por mês no Sítio Histórico da FNSA?
    Recebemos, aproximadamente, 15 mil visitantes por mês.
    9. Como faço para trabalhar e/ou estagiar no SHFNSA?

    a. Para ingressar no Exército (Sítio Histórico da FNSA)
    O acesso ao Exército se dá por meio de concurso público ou processo seletivo para cargos temporários. Os editais são publicados no site do Exército Brasileiro e das Regiões Militares.
    - Exército Brasileiro: http://www.eb.mil.br/web/ingresso/como-ingressar
    - 10ª Região Militar: http://www.10rm.eb.mil.br/processo-seletivo
    b. Para estagiar no Sítio Histórico da FNSA ou demais EC do Roteiro dos Quartéis de Fortaleza
    É preciso estar matriculado no ensino médio (Curso Técnico em Guia de Turismo) ou superior, em cursos de interesse para o funcionamento e administração do referido Espaço Cultural (história, turismo, hotelaria, tecnologia de Informação e comunicação (TIC), recursos humanos e relações-públicas e outros afins) e haver o interesse da Instituição de Ensino em realizar parceria nesse sentido com o Comando da 10ª RM.
    Esta parceria deverá ser oficializada por meio de um Acordo de Cooperação, que será efetivado, previamente, entre as Instituições partícipes, objetivando formalizar a realização do estágio dos alunos do Estabelecimento de Ensino no SHFNSA, visando a realização de estágio de guiamento de visitações e a divulgação do Sítio Histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção e demais Espaços Culturais (EC) do Exército na área de jurisdição da 10ª RM.

    Amparo Legal

    Portaria NR 416, de 14 maio de 2015, do Comandante do Exército - regula a realização de Instrumentos de Parcerias no Âmbito do Comando do Exército (EB10-IG-01.016).

    Finalidade

    A realização da parceria com os Estabelecimentos de Ensino possibilita, além do intercâmbio e troca de experiências entre as Instituições, a inclusão de estagiários supre a carência de pessoal para a condução de visitações públicas aos Espaços Culturais da área jurisdicional da 10a RM e incrementa o potencial de fomento ao turismo e de divulgação das tradições e dos valores da Instituição e da sociedade cearense. Por outro lado, proporciona ao educando:
    - Atividades de aprendizagem profissional compatível com a área de sua formação técnica em local adequado para a aplicação dos conhecimentos teóricos do curso profissionalizante.
    - Contribuir com o desenvolvimento da cultura, com ênfase nos valores, nas crenças e nas tradições.
    - Estimular sentimentos de nacionalidade, patriotismo e mútua compreensão social.

    Local do Estágio

    Espaços Culturais Regionais integrantes do roteiro de turismo militar, intitulado “Roteiro dos Quartéis de Fortaleza”, composto pelo Sítio Histórico da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção (SHFNSA), no Cmdo da 10ª RM; Sala de Exposição Marechal Castello Branco, no 23º Batalhão de Caçadores (23º BC); Memorial do 10º Grupo de Artilharia de Campanha (10º GAC), no Parque Regional de Manutenção/10 (PqRMnt/10); e outros espaços culturais, conforme interesse da OM e da Instituição parceira (EC Museu Histórico Escolar Gustavo Barroso, no Colégio Militar de Fortaleza (CMF) e Memorial da Telemática, no 52º Centro de Telemática (52º CT).

    Principais Atividades do Estágio

    As atividades do estágio consistirão em serviços de guiamento cultural para visitantes no Sítio Histórico e demais Espaços Culturais do Exército vinculados ao Cmdo 10a RM, contribuindo assim, com a divulgação dos EC Regionais e demais atividades afetas aos estagiários, em consonância com um Plano de Trabalho, previamente acordado entre as partes.

    Do Vínculo Empregatício

    Não haverá transferência de recursos ou indenização financeira entre os partícipes, sob qualquer título.
    Não se estabelecerá nenhum vínculo de natureza jurídico-trabalhista, de qualquer espécie ou natureza, que possa ser considerado como vínculo empregatício entre os estagiários e o CMDO 10ª RM ou suas Organizações Militares (OM) partícipes.
    Não haverá concessão de bolsa mensal, vale-transporte, auxílio-alimentação, assistência médica ou qualquer outro benefício por parte do CMDO 10ª RM e de suas OM, ficando tais obrigações a cargo da Instituição parceira.

     

  • 7. Tem outros EC interessantes para eu visitar em outros Quartéis?

    Olá !
    Caro visitante,


    Quero lhe apresentar um circuito de turismo militar que está a seu dispor e algumas novidades que estamos implantando para simplificar, agilizar e ampliar sua comunicação conosco.
    Agora, com um simples “clique”, você pode conhecer outros espaços culturais do Exército que estão abertos ao público em geral em Fortaleza.


            A Assessoria de Assuntos Históricos e Culturais da 10ª RM (AAHC/10), setor responsável pelo planejamento, coordenação, controle e supervisão das atividades voltadas para a preservação e difusão do patrimônio histórico e cultural do Exército no âmbito da 10ª RM e, também, pela gestão do “Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção”, vem desenvolvendo, com o apoio de suas OM e de colaboradores, uma série de ações e medidas no sentido de promover a requalificação dos Espaços Culturais (EC) existentes em nossa área jurisdicional, visando a adoção de um conceito expositivo mais atual e agradável ao público; bem como, proporcionar maior visibilidade e facilidade de acesso a esse patrimônio histórico e cultural por meio da informatização e integração dos procedimentos para a divulgação e o agendamento da visitação de grupos para o Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção e demais EC Regionais pela internet. Isto se dará por meio da:
    - - Criação de um circuito de turismo militar pelos espaços culturais das Organizações Militares (OM) com maiores atrativos para o público externo, tendo como ponto de partida a visitação ao Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção. Este circuito, intitulado como “ROTEIRO DOS QUARTÉIS DE FORTALEZA”, será formado inicialmente pelo Sítio Histórico/no Cmdo 10ª RM; Sala de Exposição Marechal Castello Branco/no 23º BC; e Memorial do 10º GAC/no PqRMnt/10.
    - - Realização do agendamento da visitação aos EC integrantes do “Roteiro dos Quartéis de Fortaleza” em um único aplicativo, que permite o agendamento de visitações aos espaços das OM de forma integrada com a do Sítio Histórico da Fortaleza de N. Sra. da Assunção, bem como possibilita a divulgação do que pode ser encontrado em cada um de nossos EC, por meio da interface com a página da OM na internet. O link para o agendamento e a divulgação das informações turísticas dos EC Regionais estará disponível, em breve, na página da internet de todas as OMDS/Vinculadas à 10ª RM.


    “Roteiro dos Quartéis de Fortaleza”
    "Um novo espaço de lazer, cultura e aprendizado a seu dispor.
    Se surpreenda com a diversificação das temáticas, apoiadas um acervo que certamente despertará seu interesse; e com sua a história, revendo fatos e personagens de seus antigos livros didáticos.
    Desfrute de momentos agradáveis e enriquecedores, em ambientes estruturados e seguros.
    Visite um dos Espaços Culturais que Integram o “Roteiro dos Quartéis de Fortaleza”.

  • 8. Quero saber se tem regras ou alguma orientação para a visitação?

    REGRAS E ORIENTAÇÕES

    "Circuito de Turismo Militar da 10ª RM: “Roteiro dos Quartéis de Fortaleza”
    (Planeje, escolha uma data, conheça e explore)
    Desfrute  -  Explore  -  Questione   -   Aprenda   -   Ensine   -   Relaxe   -   Divirta-se  


    A visita a um espaço cultural/museu é sempre uma atividade educativa. Esperamos que seja também dinâmica e instigante. Assim, a visita a um de nossos espaços culturais/museus militares do Roteiro dos Quartéis de Fortaleza, além de um convite a uma viagem no tempo onde você conhece fatos marcantes de nossa história e seus protagonistas, será um momento de prazer, entretenimento, aprendizado e cultura.

    Em nossos espaços culturais/museu embora hajam normas de conservação, segurança e de convívio a descontração e a participação dos visitantes é importantes. Essas normas nos lembram do que devemos e do que não podemos fazer, para não invadir o espaço do outro visitante ou comprometer a segurança do acervo e visitantes etc. Mas, as normas não impedem a participação de todos e, principalmente, não impõem uma disciplina limitadora. Converse, discuta, ria, brinque, enfim desfrute do espaço e divirta-se aprendendo.

Fim do conteúdo da página